Dicas para o desenvolvimento espiritual

DEZ DICAS PARA O DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL


1- Praticando Continuamente – Ver todos os aspectos da vida como oportunidade para a prática do yoga e espiritualidade.

Nos Yogasutras existem sutras sobre ásanas, mas não dizem que estes deveriam ser praticadas somente na aula. Todos sabemos que a posição física que nos colocamos influencia a maneira como nos sentimos. Quando você está deprimido qual é sua postura?

Em nome da prática podemos ter a mente plena (atenta). A cada momento estamos realizando posturas, como agora, neste momento. Vamos fazer um pequeno exercício: “Fique sentado confortavelmente, coluna ereta, tombe o corpo para frente, para puxar os glúteos e posicioná-los.Agora volte o tronco e mantenha a postura. Feche os olhos. A energia flui bem e esta é uma condição para a mente estar bem energizada e calma. Quando mente e corpo, juntos, estão calmos, a meditação torna-se possível. O corpo torna-se como um templo para o Eu (Self). Esta é uma prática interessante, procurar esta postura que lhe dá conforto e firmeza, não importa o que esteja fazendo. Agora podem abrir os olhos”.

Procure uma posição confortável no lugar que vai se sentar regularmente. Se você pensa: “O pescoço não está bem, é bom ir à aula de yoga para me sentir melhor”, seria interessante rever seus conceitos. A meta do yoga é você ser capaz de se sentir firme e sereno, não só durante a prática, mas durante todo o dia.

2 – VALOR É importante pensarmos sobre o que realmente damos valor. Todo empreendimento tem uma missão, uma meta por trás. Quando você vai tomar uma decisão importante, esta deveria ser guiada pela missão. Cada pessoa tem sua missão, o que valoriza de verdade! Vou fazer algumas perguntas para tentar guiá-los. Respondam para vocês mesmos.

Qual sua principal meta nesta vida? Pode querer um emprego, mas o que realmente você quer?

Que tipo de pessoa gostaria de ser?

Como você gostaria de se sentir a cada dia?

O quê mais gostaria de experienciar nesta vida?

O quê você mais valoriza?

Onde o amor entra nesta figura, neste quadro?

Pode ser uma coisa muito poderosa saber se o que você é, e se a maneira como você vive está em harmonia com suas respostas acima.

Exemplo. A história de um professor que pegou um jarro e colocou algumas pedras grandes dentro e perguntou para os alunos: Ele está cheio? Muitos responderam que sim. Então ele colocou outras pedras menores (cascalhos) no vaso e estas entraram por entre as pedras grandes até a borda. O professor tornou a perguntar: o vaso está cheio? Alguns alunos responderam que sim. Então ele colocou areia no vaso e a areia entrou por meio do cascalho até o fundo do vaso enchendo-o até a borda. Ele perguntou: O vaso está cheio? Um aluno respondeu, não! Então o professor despejou água no vaso e esta foi penetrando até que preenchesse todo o espaço vazio até a borda. Perguntou para os alunos qual era a moral da história. Um deles respondeu: se você tenta com suficiente esforço você consegue. Ele disse: não, você deve priorizar as coisas que são mais importantes na sua vida e colocá-las primeiro. Planeje seu tempo para as coisas que são mais importantes. Deve marcar na sua agenda e não esperar que tenha tempo para elas. Talvez nunca encontre tempo!

Você pensa em fazer meditação em tal hora, alguém lhe chama para fazer alguma coisa, é difícil dizer não. Um consultor de administração colocou desta maneira: é difícil dizer não, a não ser que tenha um propósito bem definido!

3 – ACEITAR a dor como uma professora. Quando você tem uma dor sabe que ela está chamando a sua atenção. Se você não entende a razão da dor, vai a alguém (o médico, por exemplo) para lhe ajudar. Se você a ignora pode piorar. Se você toma analgésico, corta as vias de alarme, mas o fogo ainda está lá… A dor é inevitável, o sofrimento é evitável. Quando resistimos à dor ela piora. Quando o medo aparece convide-o para se sentar ao seu lado. Pensar que ele não existe não funciona, quando tentamos entendê-lo podemos aprender algo. Ver claramente o que você sente e responder em vez de agir automaticamente. A maestria da vida não é baseada em controlar tudo, mas em responder com cuidado e atenção a tudo o que nos relacionamos.

A mente é como uma criança. Algumas vezes a mente pensa como um santo. Precisamos, muitas vezes, tratar a mente como se ela fosse uma criança. Devemos agir de maneira gentil com a mente, se lutarmos contra ela, não a conquistamos.

4 – PRATICAR e ser livre. Pensamos em termos de vida. Experimentamos libertação. Quando praticamos asanas a mente deve estar livre de idéias preconcebidas, assim pode ser guiada pelo espírito da compaixão mais do que pelo ego. Acredito que vocês foram ensinados a praticar corretamente. De toda forma, sempre que praticar posturas (asanas), respiração, (pranayama) fazer sem expectativa para ver o que realmente está lá.

5 – ESCOLHA um ensinamento de todos os escritos que você gosta. Especifique o que é importante para você e incorpore um de cada vez. Por exemplo, gratidão: coloque um lembrete no espelho do banheiro ou aonde você verá com freqüência. Ao invés de tirar um tempo para isto, mantenha aquela idéia na cabeça por muitos dias. Um amigo falou que todos os dias ele escreve alguma coisa pela qual ele é grato e vem fazendo isto por muito tempo sem se repetir.

Imagine estar com uma dor de cabeça forte e que não pode ir ao médico. Todo o tempo a dor está lá. Você só quer se livrar da dor. Quando a dor vai embora, você sente alívio, gratidão, fica feliz! Mas logo você pensa em outra coisa que você quer e gera ansiedade e a alegria se vai! Todos deveriam estar experienciando bem-aventurança por não ter dor!

Gurudev costumava dizer que vida era para se divertir, mas que deveríamos valorizar aquilo que nos trás felicidade duradoura e não temporária. Você, por exemplo, come uma Banana Split; você come, tem prazer, mas não vai se sentir bem. Antes você deveria se perguntar: isto vai realmente me fazer feliz?

É comum parar no bar e beber alguma coisa para esquecer o dia, ir para casa ver televisão, distrair a mente. Seria melhor fazer com que o trabalho não fosse doloroso e depois do trabalho fazer um relaxamento (yoganidra). Tem o mesmo propósito, sem prejudicar o corpo.

Paz é sua propriedade mais sagrada, não deixe que nada o perturbe. Você não precisa buscar a paz, ela já esta aí, com você! Precisa ter cuidado para que ela não ser perturbada. Se encontrar um pensamento útil, escreva-o e trabalhe nele por uma semana.

6 – TRABALHO como oferenda. Muitas pessoas acham que a maneira como ganham a vida é um obstáculo que toma muito tempo e não permite a pratica da espiritualidade. Dedique-se a seu trabalho como uma atividade espiritual. Uma maneira é fazer do trabalho uma oferenda a Deus. No seu trabalho pense como praticar a não violência, manter a paz e etc. Pense em servir às pessoas como parte de seu trabalho.

Uma vez fui à uma firma, as pessoas estavam cantando antes de começarem a trabalhar! Isto os ajudava a controlar o nível de stress no trabalho.

Quando eu era jovem havia um homem que exercia um trabalho pesado. Ele cantava, mas com o coração; eu pensava, gostaria de ser como ele. Ele encontrou uma maneira de ser feliz e todo mundo gostava dele. Era uma prática de contentamento. Outra maneira é colocar o coração no que você faz, mas sem expectativas, como no yoga. “Do your best, last the rest” (Dê o melhor de si, deixe o resto).

Seu serviço é guiado por algo maior que permite que você se sinta um instrumento servindo. Quando serve sem apego, não fica cansado(a), é como brincar, faz com alegria. Pode fazer da mesma maneira quando está dirigindo ou trocando o pneu do carro, pode ser igualmente agradável. Outro exemplo é ser pai(mãe), é desafiante dar tanto amor quando é necessário e permitir que ele(a) se vá quando necessário.

7 – LAZER. Planeje tempo para se divertir. Numa vida ocupada pensamos em ser produtivo e não temos tempo para ser criativos, tempo para as pessoas que a gente ama, para estar feliz, estar na natureza. É uma boa prática tirar algum tempo para isto. Antigamente todos tinham tempo para algum hobby. Hoje todos têm responsabilidades e não têm tempo para fazer as coisas simples. Tenho muitas semanas de trabalho intenso, por muitas horas, mas procuro tempo para brincar, gosto de jogar “Frisbee”. Se a pessoa não joga bem eu gosto mais, tenho que correr mais para pegar o disco (frisbee). Bonito exemplo são as crianças, elas meditam quando brincam, esquecem tudo.

8 – CONTATO. Beneficiar-se por estar em contato com pessoas que pensam como você (Sanga). É difícil estar nadando contra a corrente o tempo todo. Gaste um pouco de tempo com as pessoas que estão no mesmo caminho. Nos beneficiamos quando as metas são parecidas com as nossas.

Você pode ter a companhia de um bom livro. Em New York, eu tenho o livro Golden Present[1]. Para mim é uma forma de sat sanga. Através de seu computador você pode fazer contatos ou assinaturas, como do Weekly Word of Wisdom, por exemplo. (http://www.iymagazine.org/www_guru.html )

9 – SUA LUZ. Exponha a mente à Luz que está dentro de você. Todos os ensinamentos, toda a sua disciplina não vai influenciar sua mente como esta Luz que está dentro de você. Se acalmar a mente, esta Luz do espírito pode transformá-lo mais do que qualquer coisa e isto é possível com a prática regular. Encorajo você a encontrar uma maneira de praticar todos os dias. Crie um hábito. Como escova os dentes, deve escovar a mente todos os dias. Meditar é a melhor maneira de limpar a mente para que funcione bem.

10 – SÍMBOLOS. Fazer uso de símbolos externos que o lembre de sua real natureza. O Yoga ensina que o espírito está em tudo. Pode não parecer correto reconhecer uma pessoa como Deus, é como se o resto também não fosse. Usamos símbolos externos para lembrar o que somos. A luz no altar é exemplo do espírito que pode nos guiar através da escuridão. Qualquer coisa que lembra você de seu Eu pode fazer parte de seu altar. Coloque coisas santas, não porque são sagradas, mas porque lembram você de sua própria santidade. Quando se prostra a estas coisas sagradas você se conecta com aquela natureza divina em você. Fazer uma oferenda é também uma maneira de chamar estas forças divinas, que você está representando no altar.

Mesmo com nossa prática podemos experimentar momentos confusos, difíceis. Uma prática recomendada neste caso é rezar. Reconhecemos nossa limitação e abrimos nosso coração para ser guiado por uma coisa maior. Pedir orientação é outra forma de criar espaço para fazer o espírito se manifestar. Pode ser de muita ajuda quando se tem um insight espiritual. Criar sua própria maneira de se guiar é importante. Geralmente temos pensamentos e hábitos, mesmo quando não os queremos, porque estão enraizados em nossa mente. Trocá-los por outros com mais sentido espiritual é uma boa prática. Podemos criar uma afirmação e lembrarmos dela de novo e de novo… Assim seremos guiados por nossos valores e não pelos valores do mundo.

Transcrevi esta palestra com base em minhas anotações feitas durante a mesma. Procurei dar sentido às anotações, que não deixam de ser um resumo e, portanto, influenciado por minhas interpretações.

Atman(Arnaldo Vieira – Lavras -MG)

[1] Livro de Swami Satchidananda.

OM Shanti, Shanti, Shanthi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *